Sonho com tantas coisas simples e diversas vezes já me refugiei da realidade nesses "lugares" criados pela vontade e pela imaginação. É lá que apenas o Bom e o Belo existem e a miséria, o desrespeito, a ignorância, o preconceito e a maldade deixam de ter vez.
Levo também pra esse mundo as músicas, porque acredito que elas são uma forma de ligação com O Mundo Superior, seja ele como quer que você o imagine. Ah, as músicas das quais falo são as que tocam a alma, as que já existiam antes que alguém as "percebesse" e as tocasse; você reconhece essas músicas? elas te falam ao espírito e ao coração? se sim, então somos iguais; se não, bem, o mundo é feito de diferenças!!

domingo, 8 de setembro de 2013

Olinda em ritmo de MIMO.

       2 de setembro de 2004. Nessa data tinha início em Olinda, Pernambuco, a MIMO - Mostra Internacional de Música em Olinda.
       Hoje, em seu 10º aniversário, ela já transpôs os limites territoriais olindenses, chegando a Paraty e Ouro Preto, valorizando as cidades históricas brasileiras.
       Os idealizadores queriam transformar as igrejas do período colonial em palcos, e dessa forma foi feito. Conseguiram aliar a beleza barroca e clássica das igrejas a uma música eclética, onde o jazz, o erudito, o clássico, o new age e a world music têm seu espaço garantido.
        Porém, o resultado obtido no decorrer desses dez anos foi surpreendente, a MIMO se tornou o maior festival de música instrumental gratuita do Brasil, pessoas de todas as idades e tribos aportam nos locais de apresentação dos concertos e mostras de cinema (Sim, MIMO não é apenas música!).


        Olinda carece de atenção em várias áreas. Assim como em quase todas as outras cidades brasileiras, temos sofrido com o descaso e falta de respeito de políticos inescrupulosos. No entanto, no que se refere à arte e à consequente riqueza de estilos, estamos cada vez mais investindo nesse aspecto tão essencial da vida.
        A própria cidade é uma obra de arte a céu aberto e a criação e crescimento da MIMO tem encantado e trazido mais luz, brilho e alegria ainda à nossa rica cultura. Um exemplo desse encantamento é a atmosfera de festa que envolve cada morador e turista que aqui estava por esses dias. 
       Os ingressos gratuitos para os concertos estavam disponíveis na biblioteca, mas mesmo quem não os pegou não tinha o que temer, pois enquanto as igrejas limitavam o número de assistentes determinado por seu espaço físico, foram colocados telões nos pátios externos, em meio às palmeias imperiais, ah e aí o povo se supera, cadeiras e sarongues espalhados pelo gramado foram e são (a MIMO termina hoje.) o acompanhamento perfeito para o colorido dos ritmos das apresentações.
       Quem pensa que Olinda é apenas carnaval está redondamente enganado, claro que no período de Momo ela se torna ainda mais brilhante e colorida, mas a arte, em todas as suas facetas, faz parte da vida do olindense. Suas ladeiras e o Sítio Histórico são as testemunhas permanentes dos seresteiros, cantores, artesãos e pintores. O casamento da cidade com a arte está dando cada vez mais certo e a MIMO é mais uma demonstração desse sucesso.
        Cassinha querida, brigadíssima pelo comentário no post sobre a arte italiana!!
        Beijos e uma excelente semana!!!!
        

domingo, 1 de setembro de 2013

A Apaixonante Arte Italiana.

          Sei que para a grande maioria das pessoas é a música francesa que traduz e representa o romantismo em toda sua essência, para a maioria.....
         Para mim sempre foi a música italiana que conseguiu mexer com as fibras do meu ser, sempre foi ela que tocou no mais fundo da alma. Desde a infância escutava e viajava ao som das letras, da melodia e do sofrimento que eram tão concretos nos rostos dos cantores, eles se entregavam de tal forma que pareciam estar ali apenas fisicamente. Hoje, relembrando aquele tempo, percebo que nada mudou, o fascínio e a emoção continuam os mesmos.
        A Itália, assim como o Brasil, é um país predominantemente musical, mas além disso, os italianos são excessivamente passionais e esse sentimento também faz parte de suas músicas, de sua forma de reverenciá-las, não é apenas um artista interpretando uma canção, é uma pessoa que, ao cantar, se entrega totalmente às sensações evocadas por aquela canção.
         Menos não se podia esperar desse povo, afinal foi lá que nasceu a Ópera em fins do Século XVII, foi lá que o Renascimento, e toda a redescoberta e beleza que ele representa, surgiu entre os finais do Século XIV e meados do XVI, foi lá que estavam os maiores artistas, escultores, pintores, como Donatello, Michelângelo, Da Vinci, Botticelli, Rafael. Esses homens foram os responsáveis por algumas das mais belas obras de arte que existem até hoje no mundo.
          Amo o Renascimento Italiano, acho que foi a volta da Luz ao mundo, foi o período em que a verdadeira beleza e inspiração reinavam na terra
Primavera - Botticelli, de 1482


Escola de Atenas - Rafael, 1509

La Scapigliata - Leonardo Da Vinci, 1490 ou 1508

          Iniciei o post falando sobre a música italiana, mas é impossível se falar da Itália sem mencionar todas as outras artes que tão perfeita e dramaticamente são inerentes à cultura daquele povo.
         A beleza sempre fez parte da Itália, o primor artístico em todas as suas facetas é parte inconteste daquele país. 

Pietá - Michelangelo, de 1499
        Renato Russo disse uma vez que não gostava de cantar música romântica em português, achava brega, por esse motivo ele cantava em italiano, ele amava a língua, e assim como eu, acreditava que era nela que melhor se falava de amor.
         Diversas gerações de artistas marcaram aquele país e formaram sua cultura. A Pintura e a Escultura hoje já não possuem o mesmo fervor criativo de alguns séculos atrás, mas a música continua a ser o ponto forte italiano, os novos cantores, os novos arranjos, as novas composições continuam a encantar e emocionar como antes.
         Andrea Bocelli, Laura Pausini, Eros Ramazzotti, Tiziano Ferro, Guido Renzi, Amedeo Minghi, Dori Ghezzi, Luciano Bruno, Mafalda Minnozzi, Claudio Baglioni e tantos outros nomes praticamente desconhecidos do mundo fora Itália, continuam perpetuando essa maravilhosa arte. 
         É maravilhoso fechar os olhos e se entregar às emoções que transbordam dessas músicas, é como estar em outro mundo, a música tem esse poder e a italiana mais ainda.


video





        Para quem está em São Paulo, há uma exposição Renascentista com 57 obras, "Mestres do Renascimento: Obras-primas italianas" (Um sonho!!!) no Centro Cultural Banco do Brasil, imperdível!
       Cintia, brigadíssima querida pelo comentário no último post!
       Beijos a todos e uma semana linda e tão perfeita quanto as músicas italianas!!!


         

         

domingo, 18 de agosto de 2013

Andre Rieu - O Embaixador das Valsas.

        Para mim ele é um maestro revolucionário! 
          Esse holandês, nascido em uma família de músicos é, além de maestro, violinista e compositor, conhecido como o "Embaixador das Valsas", possui a impressionante quantidade de 10 milhões de discos vendidos e faz sucesso em mais de 30 países, entre eles o Brasil.

Andre Rieu e seu Stradivarius de 1667.

          Ele deu uma nova roupagem à música clássica, uma literalmente colorida.
          Quem já assistiu a alguma de suas apresentações sabe muito bem do que estou falando. A primeira vez que o vi regendo uma orquestra fiquei super impressionada com o colorido, a beleza das roupas de baile retiradas dos romances clássicos usadas pelas mulheres, isso sem falar no principal: A música!
           A forma com que Andre Rieu rege a orquestra é leve, mas nem por um momento deixa de ser emocionante, digo isso pelo fato de estarmos mais acostumados a assistir uma orquestra sinfônica mais formal e austera. Sua vivacidade e alegria no palco contagiam toda a platéia.
          Andre, aos cinco anos, já tocava violino, mas foi apenas quando tocou sua primeira valsa que a paixão pela música surgiu, afinal era impossível não se apaixonar.... Estudou violino no Conservatório de Maastricht (1968-1973). Frequentou a Academia de Música de Bruxelas, onde estudou com André Gertler, vencendo o Premio Prix na academia. 
          Incentivado pela reação do público, em 1978 ele cria sua primeira orquestra: A Orquestra de Salão de Maastricht (sua cidade natal), passando, então, a se apresentar nos Países Baixos, na Alemanha e nos Estados Unidos. Sua segunda Orquestra é criada em 1987, recebe o nome de Orchestra Johann Strauss. É com esse fenomenal grupo que ele se apresenta nos dias de hoje e por onde passa emociona e encanta milhões de pessoas que, talvez antes dele, não tinham o conhecimento da beleza e magia da música clássica.
          Mas ele também nos encanta com composições modernas, músicas como Tema de Lara, Don´t Cry For Me Argentina, Tema do filme Mary Poppins (cuja apresentação no show Under The Stars em 2011, Maastricht foi um espetáculo à parte!), My Way, Carmina Burana, são algumas das compoisções escolhidas por ele para fazerem parte se seu repertório. 



          Claro que paralelamente ao sucesso existem as críticas! Assim como dezenas de outros artistas que inovam, são aceitos e fazem sucesso, são alvos da estagnação de críticos que sempre tentam limitar o belo e o novo, Andre Rieu também é alvo dessas pessoas que se negam a ver a Música Clássica de uma forma mais leve, porém não menos bela ou grandiosa, críticos que defendem em suas limitações que o formalismo e a austeridade devem ser preservadas. Infelizmente sempre existirão pessoas que por não conseguirem trazer nada de novo ao mundo, sentem-se incomodadas com esses missionários que o fazem.
         Amo Música Clássica, amo violino, então Andre Rieu é, pra mim, um sinônimo de beleza e sensibilidade, um homem que ao fazer seu "trabalho" nos dá de presente uma passagem para um mundo paralelo, onde as nuances e as cores da música nos enchem o coração e o espírito do bom e do belo.




         
         Sou bastante suspeita, mas é impossível não se emocionar ao ouvir essas obras, elas necessariamente nos ligam a uma outra dimensão, são músicas angelicais dadas de presente a nós humanos, para nos aproximar um pouco mais da verdadeira beleza.
         Todos seus espetáculos são maravilhosos, mas "Under The Stars - Live in Maastricht V é, para mim , o mais mágico, são lágrimas, sorrisos e várias outras sensações garantidos no decorrer de todo o show. Sentimentos que nos acompanham e nos deixam mais leves, com um sorriso estampado no rosto.
          Leia querida, brigadíssima pelo comentário no post anterior (faz tempo....)!!!
          Beijos e uma semana maravilhosa e repleta de música e luz!!!!


       




domingo, 16 de junho de 2013

Abrace a Vida!

              Despertar, respirar fundo, sentir o ar, o cheiro, ver as cores do mundo, estar viva!
                 Algo tão natural e que foi o mais belo presente que recebemos: A Vida. Vivemos ultimamente de forma tão mecânica que nem sequer paramos para prestar atenção a esse fato. A correria nos toma por completo e acabamos esquecendo que somos muito mais do que o trânsito, as contas, o emprego e todas as demais obrigações, somos seres humanos com fragilidades, força, coragem, alegrias, melancolias, esperanças e decepções.
                 A dádiva de acordar a cada dia com saúde, devia nos mostrar o quanto somos felizes, mas acabamos esquecendo esse "detalhe" e por vários e reais motivos nos tornamos fragilizados por demais e, invariavelmente, a depressão nos bate à porta, e por sinal, essa visita tem batido em muitas portas!
                Um dos fatores que sempre me colocam em choque e me tiram da introspecção, às vezes tão egoísta, é lembrar das milhares de pessoas que estão passando por algum tipo de sofrimento, seja físico ou moral. Hoje vi uma foto que me sacudiu, uma menininha que havia feito uma cirurgia do coração, tão pequena e já com problemas tão maiores que ela! 
                Não há como não sair da mecanicidade e "perceber" a realidade de estar viva, e nesses momentos uma onda de agradecimento e alegria me invadem, sinto necessidade de abraçar, sorrir, dizer da importância das pessoas em minha vida. Li uma frase de Gabriel Garcia Marquez que diz exatamente isso: "... o amanhã pode nunca chegar. Senão lamentarás o dia em que não tiveste tempo para um sorriso, um beijo e o teres estado muito ocupado para atenderes esse último desejo...". E assim é a vida, deixamos sempre para depois o que é mais importante.
                Se pudéssemos resgatar a essência da infância certamente seríamos mais felizes e agradecidos, afinal o sorriso, a gargalhada de uma criança são contagiantes. Na adaptação que fizeram para o cinema de o livro "O Pequeno Príncipe", no final ele, o príncipe, diz ao aviador:  - "Você irá me ouvir rindo muito mais do que antes, porque numa daquelas estrelas estarei rindo, mas não saberá em qual delas, então todas as estrelas estarão rindo, será como um montão de guizos pendurados em cada estrela do céu." E realmente, ouvir seu riso no final, manda embora a tristeza.
                No livro, Antoine de Saint-Exupéry nos leva à reflexão, nos mostra como, ao nos tornarmos adultos, nos entregamos facilmente às preocupações, deixando de enxergar a importância e a beleza das coisas simples. O Pequeno Príncipe faz com que o aviador relembre como era feliz em fazer desenhos, e através dos olhos dele vemos a beleza da noite do deserto, as flores, a amizade, a importância de cativar e se deixar cativar. 


                A felicidade e a tristeza fazem parte da nossa vida, não há como se esconder, a diferença é como reagimos à última, se baixando a cabeça ou se respirando fundo, colocando um sorriso no rosto (sei que é difícil!) e seguindo em frente. Vou lembrar por muito tempo da foto da menininha, assim como lembro sempre do riso de O Pequeno Príncipe e, claro, dessa música do Gonzaguinha, que, pra mim, é perfeita. Afinal, apesar de tudo,  "eu fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida, é bonita e é bonita...."

O que é, o que é?

                Léia, Sandra e Cassinha, muito grata meninas pelos comentários carinhosos aqui e no Face. Fiquei super feliz por vocês terem gostado tanto do artista que é Antônio Nóbrega, acho uma pena a completa falta de divulgação em torno dele, são essas omissões e "escolhas" da mídia que alienam e empobrecem ainda mais o nosso povo.
                 Beijos e uma semana cheia de vida!!!!
                


            
      

domingo, 9 de junho de 2013

O Gênio Antônio Nóbrega.

 Acredito que poucos brasileiros o conheçam (infelizmente!).


       Esse pernambucano, nascido no Recife é, para mim, um dos maiores ícones da cultura popular, o responsável pela redescoberta do valioso tesouro dançante e brincante brasileiros!
       Estudou com o violinista catalão Luís Soler e fez canto lírico, mas foi seu contato com a cultura popular que fez dele um fenômeno. Em 1971, ao receber um convite de Ariano Suassuna para participar do Quinteto Armorial, Nóbrega passou a manter contato com todas as expressões populares, os brincantes de caboclinho, de cavalo-marinho e vários outros, passando a pesquisar e se aprofundar cada vez mais nesse maravilhoso universo da raiz musical brasileira.
      Ele conseguiu dar à arte popular uma roupagem mais universal, que a retirou do pequeno e esquecido mundo do interior, tornando-a conhecida e admirada por todo o mundo. Nóbrega é um artista completo, canta, dança, toca bateria, rabeca, violino, violão, seu show é emocionante, nos catapulta e envolve naquele universo festivo e grandioso que ele sabe criar tão bem. 
      Percorreu quase todo o Brasil, estudando as manifestações populares, e a partir desse envolvimento começou a desenvolver um estilo próprio em artes cênicas, música e dança. Lisboa, Espanha, Paris, Canadá, Cuba, Russia, são alguns dos lugares onde esse músico se apresentou e para onde levou a nossa mais pura riqueza cultural.
      Em 1999 Nóbrega apresentou o espetáculo "Pernambouc" para a França; Em 2000 estreou em Lisboa "O Marco do Meio Dia", que também foi apresentado em Paris, Hannover e várias capitais brasileiras; Em 2003 lançou o DVD "Lunário Perpétuo", que foi eternizado em película e é simplesmente maravilhoso. Entre 2003 e 2005 esse espetáculo foi apresentado em Portugal, Cuba, Russia e França.


       Foi homenageado com a Comanda do Mérito Cultural, ganhou os prêmios "Shell", "APCA" e "Mambembe". O seu espetáculo "Naturalmente - Teoria e jogo de uma dança brasileira", apresentado em São Paulo, foi escolhido pela Folha de São Paulo como o melhor o melhor espetáculo de dança do ano de 2009, ganhando do prêmio "APCA" e eleito pela Revista Bravo como o melhor espetáculo de dança do país, na primeira década do século XXI.

Carrossel do Destino

        Adoraria estar errada quanto ao fato de que poucos brasileiros o conhecem, acredito que estudá-lo nos daria uma visão do quanto é rica nossa cultura, de como nossas raízes e tradições musicais nos tornam um povo com uma grande e bela diversidade cultural.
         Nóbrega procura nos mostrar um Brasil que pouco conhecemos e do qual, com certeza, sentiríamos muito orgulho!


Lunário Perpétuo

O Rei e o Palhaço

    Sandra e Xandinho, fiquei super emocionada com os comentários no post passado, sei que vocês são suspeitos para falar, mas aceito todos os elogios, rsrsrs.
          Beijos a todos e uma semana cheia de luz!

quarta-feira, 5 de junho de 2013

2 Anos de Blog!!!!

        Gente!!!!! Hoje o blog está completando 2 anos, sei que parece pouco, mas pra mim, que aqui conto o tempo em termos de postagem, é bastante, por isso não podia deixar de fazer um pequeno post.
        Nem parece que foi há exatos 24 meses que coloquei em prática meu gosto (que me acompanha desde a infância) por escrever, coisa que amo, da mesma forma que ler e ouvir música, me conheço um pouco mais nesses momentos.
       Cada uma das postagens publicadas foi como estar em contato com cada uma das pessoas que por aqui passou e deixou seus comentários e recadinhos tão carinhosos e gentis, cada um desses comentários foi um afago na alma, roubou um sorriso e, muitas vezes, me emocionou. Hoje vejo o quanto esse cantinho se tornou importante pra mim, por meio dele me sinto mais próxima de pessoas muiiiito queridas, que talvez nem imaginem o quanto se tornaram importantes na minha vida.
   Falar sobre música, filmes, amizade, amor, sonhos, é maravilhoso, e poder compartilhar  tudo isso é melhor ainda. 
     Muito obrigada a todos pela companhia, adoro "caminhar" ao lado de vocês!


Beijos!!!!!!